Legado Puritano
Quando a Piedade Tinha o Poder
Áudios
Sem Santificação Ninguém Verá o Senhor Jesus 2
Data: 28/08/2021
Créditos:
Texto: Silvio Dutra
Voz: Silvio Dutra
 


Sem Santificação Ninguém Verá o Senhor Jesus  2


 
Ai meu coração!  Quanto dói saber que o povo do Senhor está sendo destruído, porque não está sendo devidamente ensinado sobre a indispensável necessidade de santificação; o que ela significa, e como é a forma de ser obtida ao longo da carreira cristã.
Como estamos vivendo em dias de apostasia, que antecedem o arrebatamento da igreja, importa aplicar-nos à doutrina da santificação, porque sem esta ninguém verá o Senhor, especialmente em Sua vinda para o arrebatamento.

Nós falamos em nossa primeira parte, sobre a necessidade de uma boa consciência, de um coração puro e uma fé não fingida, porque é destes três que procede o verdadeiro amor a Deus.
Deus é amor, e Sua vida em nós se manifesta em amor, porque a própria fé atua pelo amor, ou seja, sem que haja verdadeiro amor a Deus, a fé não pode atuar na plena obediência à Sua santa vontade - ainda que sem fé, ninguém poderá conhecer o amor de Deus.
 
E, se além de uma boa consciência há necessidade de um coração puro ao lado da fé não fingida, jamais poderíamos ter o referido amor sem que antes nos despojemos das obras da velha criatura, ou velho homem, que remanescem em nós, mesmo depois da nossa conversão a Cristo.
Assim, a nossa vitória sobre a carne, ou seja, da nossa natureza terrena decaída no pecado, depende inteiramente de um andar no Espírito Santo, para a produção do fruto do Espírito, que é o oposto às obras da carne, ou do corpo, como o apóstolo as chama em Romanos 8, em que diz:
“Porque, se viverdes segundo a carne, caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito, mortificardes os feitos do corpo, certamente vivereis.” [Rm 8: 13]

Todos os homens vivem na carne, mas nenhum homem deve viver segundo a carne; pois se você vive da carne, isto é, segundo os motivos pecaminosos e os ditames corruptos da velha natureza, você morrerá em todos os sentidos, quer natural, no que se refere ao corpo físico, quer espiritual, quanto ao espírito, e quer eterno, quanto à separação para sempre de Deus, em que o corpo ficará alijado da esperança da ressurreição futura em corpo glorificado; o espírito em chamas eternas, e a consciência e todos os constituintes do ser, completamente separados da vida de Deus.

Viver segundo a carne, aponta para um ato continuado de pecado, com complacência e prazer no pecado.
Uma coisa é o pecado seguir você, e outra coisa é você seguir o pecado.
Então, temos aqu, o primeiro passo para a santificação que corresponde ao carregar diário da cruz, negando a nós mesmos, crucificando o nosso ego, e dando um verdadeiro e incansável combate ao pecado, buscando mortificar pelo Espírito Santo matar todo e qualquer pecado pela raiz - sabendo todavia, que enquanto no corpo, esta luta será constante, exigindo vigilância e oração permanentes, porque o pecado não é aniquilado aqui embaixo, mas deve ser dominado pelo poder da graça de Jesus.

Quanto mais o tempo avança e mais nos aproximamos da volta de Jesus, o aumento da iniquidade que leva a várias práticas pecaminosas, faz com que o pecado propriamente dito seja banalizado.
Desta forma, como alguém se deixará convencer pelo Espírito Santo, de que é um pecador que necessita de arrependimento, enquanto considera como normal aquilo que é pecaminoso?

Daí, Jesus ter dito “se porventura Ele acharia a verdadeira fé na Terra por ocasião da sua segunda vinda”.
Esta ausência de fé pode ser entendida, como sendo a condição geral prevalecente que ocorrerá naquela ocasião futura, em que os que creem já teriam sido arrebatados para o encontro com Jesus nas nuvens; considerando-se também,  que as gerações dos grandes homens de fé já havia passado, estando eles agora na glória celestial, ou então de que seria tão reduzido o número de verdadeiros crentes à medida que o tempo avançasse, que o Senhor foi levado a fazer tal pergunta retórica.
Em todo o caso, isto nos alerta para a necessidade que temos nesta nossa geração perversa, de pedir a Jesus que aumente mais e mais a nossa fé nEle e na verdade, para que dela jamais venhamos a nos desviar.
 

 
Enviado por Silvio Dutra em 28/08/2021
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras