Legado Puritano
Quando a Piedade Tinha o Poder
Áudios
Deus Requer Santificação aos Cristãos 40
Data: 29/01/2022
Créditos:
Texto: Silvio Dutra
Voz: Silvio Dutra

 

 

 

 

 

 

 

“Quem subirá ao monte do SENHOR? Quem há de permanecer no seu santo lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente. Este obterá do SENHOR a bênção e a justiça do Deus da sua salvação. Tal é a geração dos que o buscam, dos que buscam a face do Deus de Jacó.” [Sl 24: 3-6]

 

Jesus é da parte de Deus para nós, a nossa justiça, redenção, sabedoria e santificação [I Co 1: 30], de modo que de nós é dito estarmos aperfeiçoados nEle [Cl 2: 10], ou seja, plenamente habilitados para a aceitação total de Deus.

Nós que somos pecadores não podemos tirar nenhuma conclusão, exceto a de Josué:

“Então, Josué disse ao povo: Não podereis servir ao Senhor, porquanto é Deus santo, Deus zeloso, que não perdoará a vossa transgressão nem os vossos pecados”. [Js 24: 19]

Nenhuma criatura é capaz de ter perfeição em santidade, a ponto de responder à pureza infinita da natureza divina, sem uma aliança e condescendência da parte de Deus para com ela. [Jó 4: 18, 15: 15] 

 

É por isso que Deus, ao lidar com Seu povo de antigamente, neste assunto, não propôs para eles a perfeição absoluta de Sua própria natureza para este fim, mas sendo santo, visto que Ele habitava entre eles e era seu Deus, isto é, em aliança com eles, ambos respeitavam a Jesus Cristo.

Com isto quero dizer, que a santidade que era exigida deles pela Lei, não era a de uma absoluta perfeição moral em todos os sentidos e que nunca falhasse, pois como diz o salmista, não há quem não peque, mas em guadarem todos os mandamentos que lhes foram prescritos, sobretudo aqueles relativos à sua purificação da carne por meio dos sacrifícios de animais que não podiam purificar a consciência - para o que  somente o sacrifício de Cristo é eficaz . [Hb 9: 9, 13,14]

Porque é somente em Jesus que todas as gloriosas perfeições de Deus são representadas para nós, para que possamos não apenas aprender nosso dever, mas também ser encorajados para isso, porque;

1. Todas as propriedades de Deus, assim representadas para nós em Cristo são mais evidentes, resplandecentes, sedutoras e atraentes, do que como são absolutamente consideradas.

 

Eu não sei em que luz e conhecimento das perfeições divinas, que Adão tinha em seu estado de inocência, quando Deus se declarou apenas nas obras de natureza.

Sem dúvida, foi suficiente para guiar Adão em seu amor e obediência, ou naquela vida que ele deveria viver para Deus, mas eu sei disso agora; todo o nosso conhecimento de Deus e suas propriedades, a menos que seja aquele conhecimento que temos em e por Jesus Cristo, é insuficiente para nos conduzir nessa vida de fé e obediência que é necessária para nós.

Deus nos dá a "luz do conhecimento de Sua glória, na face de Jesus Cristo" [2 Co 4: 6], isto é, manifestações claras de Suas gloriosas excelências.

Assim, é "contemplando a glória do Senhor", que somos “transformados de glória em glória na mesma imagem.” [2 Co 3: 18]

Sempre devemos considerar, que o desprezo que Adão e Eva tiveram pela Palavra de Deus expressada no mandamento que lhes fora dado, que os conduziu a serem destituídos da glória divina por causa do pecado, foi passado a toda sua descendência, e disso somente podemos ser curados pela regeneração (novo nascimento pelo Espírito Santo), que nos leva não somente a prezar a Palavra do Senhor como também a amá-la.

Esta é uma grande característica do crente que está sendo santificado; este amor a Deus e à Palavra aumenta mais e mais com o passar do tempo - mas quando este amor esfria é um sinal evidente que está havendo um decaimento em nossa santificação, por nossa própria negligência e andar desordenado segundo a carne, não obediente segundo o Espírito.

 

Junto com uma representação da santidade de Deus em Cristo, há uma revelação feita de que santidade Ele requer de nós e a aceitará.

Como observado antes, considerando-o absolutamente, não requer nem permite nada, exceto o que é absolutamente perfeito, pois onde houver uma única falha, tudo o que fazemos é condenado,

“Pois qualquer que guarda toda a lei, mas tropeça em um só ponto, se torna culpado de todos”. [Tg 2: 10]

Portanto, isso só pode causar perplexidade e tortura à alma de um pecador pressionando-o, ao mesmo tempo, tanto à necessidade quanto à impossibilidade de santidade.

"Os pecadores em Sião se assombram, o tremor se apodera dos ímpios; e eles perguntam: Quem dentre nós habitará com o fogo devorador? Quem dentre nós habitará com chamas eternas"? [Is 33: 14]

 

Mas agora, como Deus está em Cristo, por meio de Sua interposição e mediação, Ele apenas aceita tal santidade em nós, de que somos capazes, e da qual nenhum homem se desencoraja de se esforçar para atingir, ou seja, nos considerará de um coração puro, não quando formos absolutamente perfeitos quanto a isto, mas enquanto nos esforçarmos sinceramente para alcançá-lo, pois a justiça de Jesus responderá pela nossa fé nEle, para a aceitação da justiça de Deus; de modo que, em Cristo, somos ditos estar aperfeiçoados.

“Também, nele, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade.” [Col 2: 10]

“Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.” [Mt 5: 48]

 

Não, porque sejamos perfeitos em nós mesmos, mas por estarmos nAquele que é perfeito e que há de nos conduzir à plena perfeição na glória, pois o céu nada pode receber, senão somente o que for perfeito em santidade.

Foi para este propósito que Cristo nos foi dado por Deus Pai.

Enviado por Silvio Dutra em 18/11/2021
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras