Legado Puritano
Quando a Piedade Tinha o Poder
Textos




 


Alegria na Tribulação
 
 
   
   
Não há dúvida que Jesus sublinhou que o crente é diferente. Ele mesmo disse como recordam, que:
Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada” [Mt 10: 34]
 
Em outras palavras:
O efeito de meu ministério será divisão, inclusive entre pai e filho, mãe e filha, pois os inimigos do homem serão os da sua própria casa”.
 
O evangelho de Jesus Cristo cria uma divisão bem marcada entre o que é crente e o que não é. O próprio não crente o demonstra perseguindo o crente - a forma como o persegue não importa; o fato é que, seja na forma que for, vai fazê-lo.
O não crente tem antagonismo ao crente, por isso, como vimos, a última bem-aventurança é uma pedra de toque muito sutil e profunda do crente.
Há algo no caráter do crente, por ser semelhante a nosso Senhor, que sempre atrai perseguição.
Ninguém tem sido perseguido neste mundo como foi o próprio Filho de Deus; o servo não é maior do que o seu senhor, por isso tem o mesmo destino.
O não crente tende a perseguir e a dizer toda classe de mentiras contra o crente. Por que?
Porque é basicamente diferente, e o não crente o vê.

O crente não é como os demais, somente com alguma diferença mínima, mas é essencialmente diferente - tem uma natureza diferente, e é um homem diferente.
 
(Esta diferença entre o crente e o não crente não é causada por Deus, porque Ele não faz acepção de pessoas; Seu desejo é que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. Não é, portanto Deus quem impede qualquer pessoa de vir a Cristo, para ser transformada por Ele.
É a própria pessoa que se endurece e resiste a se submeter ao Senhor, não reconhecendo que o propósito da criação por Deus foi para que O servisse e adorasse, em plena comunhão com Ele, baseada no amor, no entanto como Deus é luz e santo, não é possível ter tal comunhão com Ele, caso não permitamos o trabalho da graça em nosso coração, lavando-nos dos pecados e transformando-nos à semelhança de Jesus, para que possamos ser reconciliados em amizade e amor com o nosso Criador – nota do tradutor) 
 
O segundo princípio é, que a vida do crente é dominada por Jesus Cristo, pela lealdade a Ele, e preocupação de tudo fazer por Cristo.
Por que os perseguem?
Porque vivem por Cristo.
O objetivo de todo crente deveria ser viver por Cristo, e não por si mesmo.
As pessoas andam em desacordo e se perseguem mutuamente, inclusive quando não são crentes, porém devemos acrescentar algo a isto, porque estas coisas são muito sutis.
 
Se conhecemos algo da psicologia de nossa alma e da vida cristã, empregando o termo “psicologia” em seu sentido verdadeiro, e não no sentido moderno e pervertido;  devemos nos dar conta  que há de se dar um passo além.
Nunca devemos deixar que a perseguição nos deixe deprimidos, nem que sintamos desprezo por quem nos persiga, mas podemos dizer:
Por que deve ser assim?
Por que me trata deste modo?

Em consequência, um sentimento de depressão parece se apoderar da vida espiritual, e tende a perder o rumo da vida cristã - isto é algo que nosso Senhor também censura, pois Ele diz de forma positiva e clara:
“Regozijai-vos. Alegrai-vos”.
 
Temos visto no estudo das bem-aventuranças, que ninguém pode fazer-se cristão, com seus próprios esforços. Alegrar-se pelas perseguições sofridas é completamente impossível para o homem natural e, nem sequer  dominar o espírito de vingança.
Somente o crente pode fazê-lo, não por causa de seu próprio poder, mas pela vida de Cristo que se manifesta nele.
O crente não se alegra pela perseguição propriamente dita, ao contrário, ela é algo para se lamentar.
A perseguição é algo que o crente sempre deve lamentar, porque causa dores, em razão de que homens e mulheres debaixo do domínio do pecado e de Satanás, se conduzem de forma muito inumana e maligna.
Por que então, é ordenado pelo Senhor que o crente se alegre na perseguição?
A primeira razão, como já tem sido dito, é porque a perseguição por causa de Cristo prova de quem é, e para o que é.
“Alegrai-vos e exultai, porque é grande o vosso galardão nos céus; pois assim perseguiram aos profetas que viveram antes de vós”.  [Mt 5: 12]
 
Por isso, se são perseguidos, e são ditas coisas más de vocês por causa de Cristo, saibam que vocês são como os profetas que foram servos de Deus, e agora estão se regozijando na glória de Deus.
Este é o motivo por que temos que nos alegrar. Esta é uma das formas em que nosso Senhor converte tudo em vitória - em certo sentido, faz inclusive com que o próprio diabo seja causa de bênção.
O diabo, por meio de seus agentes persegue ao crente e o faz infeliz, porém se considerarmos numa perspectiva adequada, encontraremos razão para nos alegrar.
Então podemos dizer ao diabo:
“graças a você, está sendo demonstrado que sou filho de Deus, porque se não fosse, nunca me perseguirias assim, por causa de Cristo, nem haveria em mim poder para me alegrar em meio a tais perseguições.”
    
 
 
D. M. Lloyd Jones
Enviado por Silvio Dutra em 02/10/2021
Alterado em 02/10/2021
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras