Legado Puritano
Quando a Piedade Tinha o Poder
Textos
 


Atuação de Deus com Seus Filhos
 



 
Este é um princípio geral na atuação de Deus em relação a seus filhos, a saber, que toda a força que eles possuem procede da parte do Senhor, pela atuação da Sua graça.
 
Dizemos “princípio geral”, porque o modo da manifestação deste poder divino opera de diversas maneiras, quer nos livrando imediatamente ou não das fontes de nossas tribulações, especialmente daquelas de procedência satânica, mas sempre nos assistindo, de forma que não venhamos a desfalecer ou desanimar definitivamente, caso seja permitido que estas fontes de aflições se prolonguem por longo tempo.
Todavia, não somos impedidos de orar por livramento em nenhuma ocasião, como o próprio Paulo não o foi em sua experiência, quando clamou ao Senhor em três ocasiões distintas, porém tanto quanto ele, somos ensinados de que devemos nos confiar inteiramente ao Senhor e à Sua graça, na firme certeza de que Ele nos guardará de todo mal, e nos fortalecerá com Seu próprio poder, ainda que aquilo que deu causa à nossa aflição, não seja removido imediatamente.
 
Seremos aperfeiçoados em nossa experiência com Seu poder, quando constatarmos que toda a força do inferno, e todos os principados e potestades do mal têm que recuar, quando Ele se levanta para batalhar por nós e expulsá-los.
Além disso, Ele fortalecerá o nosso próprio coração, enchendo-nos do Espírito Santo, de modo que podemos dizer juntamente com Davi:
“Pois contigo desbarato exéricitos, com o meu Deus salto muralhas”.  [Sl 18: 29]
 
Se nos faltasse esta parte principal no livramento do mal, poderia acontecer que a causa do nosso sofrimento fosse removida, e ainda nos sentíssemos acorrentados pelo mal, ou ansiosos e temerosos pelo seu retorno em circunstâncias ainda piores; por isso é dito “aperfeiçoamento de poder”, porque é algo completo que o Senhor realiza por nós, e em nós.
É algo que nos conduzirá à libertação real de nossa alma, que se expressará em louvores e glorificação de Deus, com grande alegria e paz de coração.

7 E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte”.
 
“8 Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim”.

“9 Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo”.

“10 Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”  [II Co 12: 7-10]
 
 
Silvio Dutra
Enviado por Silvio Dutra em 09/10/2021
Alterado em 09/10/2021
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras