Legado Puritano
Quando a Piedade Tinha o Poder
Textos


 

 

 

1545972.jpg
As palavras aspadas a seguir fazem parte do texto de um sermão pregado pelo Rev. Morse, no dia 5 de maio de 1798, consagrado nos EUA como um dia de jejum geral em toda a nação, contra a infiltração dos Illuminatis e dos ideais da Revolução Francesa naquela nação:

“Por esses eventos terríveis - esse tremendo abalo entre as nações da terra, Deus sem dúvida está cumprindo suas promessas e cumprindo as profecias. Essa ira e violência dos homens contra todo governo e religião serão feitas, em última análise, de uma forma ou de outra, para louvar a Deus. Todas as corrupções, na religião e no governo, como escória devem, mais cedo ou mais tarde, ser queimadas. O terrível fogo do Iluminismo pode ser autorizado a se enfurecer e se espalhar para esse propósito…. Mas enquanto contemplamos esses terríveis eventos deste ponto de vista, tenhamos cuidado, em nossas expressões de aprovação, de misturar o fim com os meios. Porque o ateísmo e a licenciosidade são empregados como instrumentos, por providência divina, para subverter e derrubar o papado e o despotismo, não se segue que o ateísmo e a licenciosidade sejam em si coisas boas e dignas de nossa aprovação. Enquanto a tempestade se alastra, com terrível destruição na Europa, sejamos consolados com o pensamento de que Deus a dirige e que ele, por seu poder e sabedoria, a administrará, de modo a fazê-la cumprir seus próprios desígnios graciosos. Enquanto contemplamos essas cenas atuando no exterior e à distância de nós, preocupemo-nos com o nosso próprio bem-estar... Temos motivos para tremer pela segurança de nossa arca política e religiosa. Tentativas estão sendo feitas, e são conduzidas aberta e secretamente, para minar os fundamentos de ambos. Nesta situação de coisas, nosso dever é claro e está dentro de um compasso curto.”

 

Deus trouxe a criação natural à existência em 6 dias, e descansou desfrutando a criação que fizera, e especialmente o homem que então era perfeito e sem pecado, no sétimo dia. 

Fazendo um paralelo com a criação espiritual, conforme a promessa feita a Adão de um Descendente abençoado (Jesus) que esmagaria a cabeça da serpente com todos os seus planos infernais, em seis milênios (pois para Deus mil anos são como um, e um como mil) em que restauraria através deste Descendente pessoas desta humanidade agora caída no pecado e sob condenação, da condição de pessoas libertas do pecado e da Serpente (o diabo), para a de filhos amados de Deus.

Sabemos, pela cronologia bíblica, que desde a promessa feita a Adão até a renovação desta promessa feita a Abraão, temos cerca de dois mil anos. E da promessa feita a Abraão até a morte de Jesus na cruz, temos outros dois mil anos, perfazendo um total até este ponto de quatro mil anos. Completando os seis mil anos, devemos considerar então desde a morte de Jesus até dois mil anos depois, e temos o ano de 2033, que corresponderia ao tempo aproximado para a Sua volta, com o fechamento da dispensação da graça, e início do Milênio, que corresponde aos mil anos em que a Terra descansará das más obras que haviam sido nela feitas, e à conclusão da nova criação espiritual que Deus realizou durante os seis mil anos. Deus entrará no descanso juntamente com aqueles que salvou a partir de então, já não mais estando o governo do mundo sob Satanás e os ímpios.

Se dividirmos estes 2033 anos (que corresponderiam segundo a nossa projeção, ao tempo compreendido entre o primeiro e o segundo adventos de Jesus, contados de Sua morte e ressurreição quando o Espírito Santo começou a ser derramado em todo o mundo a partir do dia de Pentecostes), pelas 26 letras do nosso alfabeto, temos como resultado 78 anos para cada letra. Assim, os primeiros 78 anos da Igreja Primitiva corresponderam à letra "a". E assim, as revelações do Apocalipse que foram dadas a João cerca do ano 100, estariam localizadas na letra "b", que corresponde ao período de 78 a 156. A letra "c" ao período de 156 a 234, e assim sucessivamente para cada uma das letras seguintes, sempre somando-se 78 ao último número da letra imediatamente anterior. 

Se considerarmos a Revolução Francesa (ano de 1789) como ponto de partida da liberação da operação do mistério da iniquidade, pelos motivos que serão apresentados a seguir, teríamos então desde a referida data até o ano aproximado para a volta de Jesus em torno de 2033, um período de 234 anos, equivalente ao resultado de 2033 menos 1789 que é igual.

Ora, se para cada 78 anos corresponde uma letra do alfabeto, então este número 234 corresponde às três últimas letras do alfabeto (x, y, z).

Temos então fundamento para crer que uma data próxima em torno de 2033 é muito provável de estar relacionada à volta de Jesus, e por conseguinte ao arrebatamento da Igreja e surgimento do governo global do Anticristo, e que 1789 foi o ano de partida para a implementação de ações do mistério da iniquidade até o estabelecimento de um governo central mundial.

Isto se infere principalmente dos seguintes argumentos:

O apóstolo Paulo em sua carta aos Tessalonicenses afirma que o “mistério da iniquidade” já operava em seus dias, e que este, quando o Espírito Santo não mais o restringisse, caminharia para a realização de tudo o que Satanás havia planejado realizar em conjunção com os governantes do mundo.e cremos que isto teve seu ponto de partida na Revolução Francesa.

Jesus disse que no tempo do fim, por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriaria. Muito desta multiplicação seria o resultado das ações do referido mistério da iniquidade. Diz-se mistério porque seu plano era banir de forma sutil e oculta o cristianismo do mundo e derrubar os tronos dos reis, para substituí-lo pelos agentes ativos das sociedades secretas em que operava o citado mistério, principalmente na Maçonaria.

Iniquidade, no original grego significa literalmente “sem lei”, “contrário à lei”, e esta lei no caso é a Palavra de Deus, que tanto os perturba e incomoda, e até mesmo impede a realização plena de seus intentos, pois por ela somos ensinados a reprovar e não praticar aquilo que Deus diz abominar, como por exemplo, feitiçarias, adultérios, impurezas, promiscuidade, aborto, palavras torpes, bebedeiras, vícios, drogas ilícitas, relações sexuais abomináveis, ideologia de gênero etc., coisas estas consideradas aprovadas pelos agentes da iniquidade, sob o argumento do direito à liberdade plena que possui a humanidade. E considere-se que havia no mundo secular daquela época relativa à Revolução Francesa, e já bem antes desta se consumar, um clamor público por liberdade de costumes que eram proibidos pela religião, como por exemplo se embebedar com rum, jogos de azar, bailes, teatro etc.

Além disso, um golpe fatal deveria ser dado sobre a fé na existência e operações de Deus, pela exaltação da razão humana, que deveria ser entronizada como deusa no lugar da fé.

Não é difícil de entender, que sendo tais agentes da iniquidade infiltrados em todos os setores importantes da vida pública no mundo ocidental (governo, igreja, meio estudantil, mídia, artes, cultura, produções literárias, filmes, magistério e magistrados, etc) que o efeito que se seguiria seria o da apostasia da fé verdadeira, e dos valores verdadeiros dos cristianismo, conforme afirmado por Jesus e pelos apóstolos como o que sucederia no tempo do fim.

O mesmo mistério da iniquidade, desde os dias da Revolução Francesa, revolução esta que continua avançando no mundo ocidental até os nossos dias, diga-se de passagem, apontou para uma fraternidade e igualdade mundiais, e para tanto, o conceito de nações soberanas e o sentimento de patriotismo deveriam ser substituídos por um de cosmopolitismo, que a propósito tem se infiltrado no mundo ocidental sob o conceito da globalização, em que o interesse do país não conta, senão o que é bom para toda a comunidade mundial. E o grande objetivo deles é o do estabelecimento de um governo único central ao qual todas as nações devem responder.

O socialismo serviu e ainda tem servido aos interesses dos agentes da iniquidade, abraçando os mesmos objetivos deles, mas será descartado tão logo o Anticristo assuma o poder, pela criação de um governo de molde fascista, e no qual os que serão chamados a governar juntamente com ele, serão apenas estes agentes das sociedades secretas que colocaram o mundo no rumo em que se encontra atualmente, com a queda, desde a Revoloução Francesa, dos tronos absolutistas ou não, pela substituição por governos republicanos e com aparência de democratas em que o povo tem sido iludido pelo truque de votar naqueles que são indicados para concorrer nas eleições, não pelo povo, mas por eles, os agentes ocultos da iniquidade, que são os poderosos deste mundo, e que se uniram com o propósito determinado de ridicularizar os valores do cristianismo, para poderem com maior facilidade dominar as massas e as propriedades, porque no modelo fascista, os empresários são livres para produzir, mas aquilo e nas quantidades determinadas pelo governo fascista. O conceito de propriedade particular perde o seu caráter absoluto, pois o governo pode dispor de tudo o que quiser no momento em que desejar. Vemos assim que tudo o que interessa realmente a esta gente poderosa não é liberdade, igualdade e fraternidade para todos, mas obter mais poder, dinheiro e domínio completo e permanente para si próprios.

Evidentemente, tudo isto é feito de maneira oculta e sob a máscara da defesa do estado democrático de direito, para atrair e encantar as massas, mas o real objetivo por detrás da máscara é bem outro.

Através da ordem dos Illuminatis, criada em 1 de maio de 1776 por Adam Wheishaupht, as ideias iluministas proclamadas por Voltaire, Diderot, Russeau, dentre outros, alguns anos antes, foram materializadas especialmente pela penetração dos illuminatis na maçonaria em todo o mundo, a partir da Baviera na Alemanha, espalhando-se por toda a Europa e EUA, com o fim expresso de banir o Cristianismo e os governos totalitários, através da adoção de meios libertinos considerados como liberdade de pensamento e expressão, vitória da razão sobre a fé, igualdade e fraternidade entre os homens etc, pela direção e governo de homens sábios e iluminados, a saber os grãos mestres dos illuminatis.

Isto responde porque o mundo desde a Revolução Francesa (1789) passou a ser o que é hoje, com a apostasia do cristianismo especialmente na Europa e EUA, e o crescente ateísmo e liberação de costumes contra os valores cristãos. Há toda uma máquina de propaganda contra o cristianismo e seus valores, por detrás dos bastidores, especialmente através de agentes governamentais, magistraturas, mídia e cultura.

Sob o argumento de se livrar o homem da opressão do sacerdote e do rei, pela derrubada de altares e tronos, o que se visava de fato era sacudir o jugo de Cristo do pescoço para dar plena expressão ao uso do jugo do pecado e de Satanás, e no lugar dos governantes que afirmam o conservadorismo, colocar os iluminados progressistas que detestam tanto a Cristo quanto o evangelho.

Agora, quanto ao X, Y, Z, antes citado, lembremos que estamos de fato vivendo na última fase correspondente à letra Z, e no final desta fase, considerando sobretudo que Israel voltou a ser uma nação em sua pátria na Palestina em 1948, e isto corresponde a 74 anos já passados desde então, até o presente ano de 2022, e que os eventos mundiais apontam para a proximidade da Batalha do Armagedom.

A este período de 234 anos correspondem vários eventos cruciais que determinaram a mudança do mundo desde a Revolução Francesa em 1789, como por exemplo a Guerra de Secessão entre os americanos no final da primeira parte; a Revolução Industrial (letra x – 1789 + 78 = 1877). As duas grandes guerras mundiais na primeira metade do século XX (letra Y – 1877 + 78 =1955). O retorno de Israel à terra prometida em 1948, a Revolução na Informática e o advento da Internet a partir de 1980 (letra z – 1955 + 78 = 2033).

A ideia de um governo central mundial pelos illuminatis vislumbra a realização do cosmopolitismo que seria o único que poderia atender à demanda de liberdade, igualdade e fraternidade entre todos os homens, e por isso a noção de patriotismo deve ser arrancada do consciente das pessoas em cada nação.

A suposição feita de um ano milenar sábatico, seguindo os seis milênios imediatamente anteriores, encaixa-se até o presente na consideração de termos os últimos dois mil anos, dos seis mil, sendo contados de 33 d.C. (morte e ressurreição de Jesus, e Pentecostes) até em torno de 2.033 d.C. 

Se fôssemos avançar esta data do provável retorno de Jesus para muito adiante, como por exemplo, para mais cem anos, teríamos então o ano de 2.133. Com isto, admitiríamos que Israel, já por 72 anos na Palestina, teria que suportar por mais outros 111 anos, as pressões das nações que de há muito planejam a sua extinção total; e que a apostasia que já é grande no presente, e com tendência de um aumento ainda maior da iniquidade atual que já é insuportável, por mais de um século. Também deve ser considerado que haveria uma superpopulação mundial, agravando ainda mais este quadro de iniquidade. 

Estando cada posto importante da administração pública, e todos os órgãos de mídia, faculdades, cultura etc, ocupados por representantes eminentes do illuminatis, a ideia de um governo pelo povo e para o povo pela via democrática e exercício do voto, não passa de uma ilusão e quimera, uma vez que o controle e o governo sempre estará nas mãos ou sob a influência indireta destes illuminatis que conduzem todas as áreas no mundo ocidental.

Tudo já está aparelhado de tal forma, que basta apenas aguardar pela hora “H” em que conduzirão o Anticristo ao poder.

Em todo o caso nunca devemos perder de vista o controle total e geral que Deus tem sobre a história da humanidade, e tudo isto foi e tem sido permitido para o cumprimento de propósitos divinos, não na aprovação dos meios e nem mesmo nos objetivos finais colimados pelos agentes da iniquidade, mas pelos efeitos colaterais que resultariam destas ações. Como por exemplo, a superstição e domínio político total da Igreja Romana, que perdurou por séculos, somente foi derrubado por estas ações a partir da Revolução Francesa, culminando com a separação entre Estado e Igreja em todas as nações do Ocidente, desde então, particularmente no século XIX.

Outro benefício, se podemos assim chamar, foram as formas mais participativas nos governos republicanos que passaram a existir no lugar das monarquias, abrindo-se as possibilidades de extensão de ações comerciais, e implementação de obras de infra-estrutura que não caminhavam bem na carruagem lenta dos interesses mesquinhos dos reis, sobretudo dos absolutistas.

Mas, em tudo isso, observe: o que importa de fato em nossa vida neste mundo, não é tentar impedir que as coisas referidas anteriormente sejam retardadas ou impedidas, pois elas seguirão o seu curso conforme está predito na Palavra de Deus. Mas que nos empenhemos em verificar se há permanente abastecimento do óleo do Espírito Santo em nossas lâmpadas, para podermos ser admitidos com o Noivo a entrar no Reino de Deus, para celebrarmos as Bodas do Cordeiro no céu.

Tudo o que se requer para se escapar da condenação eterna que aguarda por todos estes agentes da iniquidade e todos aqueles que não crerem em Cristo, é que tenhamos não apenas a habitação do Espírito Santo, mas a Sua ação regeneradora, renovadora, purificadora, fruto e dons espirituais, direção, instrução, poder e tudo o mais que Ele opera naqueles que são de Cristo.

Não se pede uma vigilância perfeita, porque as virgens prudentes da parábola também dormiram, tanto quanto as insensatas. Lembremos que os apóstolos Pedro, Tiago e João dormiram no Getsêmani mesmo sob a admoestação de Jesus para que não o fizessem e que vigiassem e orassem juntamente com Ele.

Mas ser sinceros em nosso amor ao Senhor, não nos deixando levar pelo erro desses insubordinados que pregam uma falsa liberdade, igualdade e fraternidade que está sendo forjada por meio de truques, de enganos e da iniquidade. É por um sincero amor ao Senhor, ao Seu Reino e à Sua justiça que podemos manter o óleo do Espírito queimando em nossas lâmpadas e ter a plena certeza da nossa admissão na glória por ocasião da Sua segunda vinda.

“1 Então, o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram a encontrar-se com o noivo.

2 Cinco dentre elas eram néscias, e cinco, prudentes.

3 As néscias, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo;

4 no entanto, as prudentes, além das lâmpadas, levaram azeite nas vasilhas.

5 E, tardando o noivo, foram todas tomadas de sono e adormeceram.

6 Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro!

7 Então, se levantaram todas aquelas virgens e prepararam as suas lâmpadas.

8 E as néscias disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão-se apagando.

9 Mas as prudentes responderam: Não, para que não nos falte a nós e a vós outras! Ide, antes, aos que o vendem e comprai-o.

10 E, saindo elas para comprar, chegou o noivo, e as que estavam apercebidas entraram com ele para as bodas; e fechou-se a porta.

11 Mais tarde, chegaram as virgens néscias, clamando: Senhor, Senhor, abre-nos a porta!

12 Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço.

13 Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora.”


O poder do Senhor Jesus é realmente extraordinário e maravilhoso, pois transforma maldições em bênçãos, e põe uma mesa diante de nós na presença dos nossos inimigos. Ele faz de Moisés um príncipe na casa do faraó que intentava exterminá-lo, quando faraó ordenou a mortandade das crianças israelitas.

Lembremos que foi exatamente nos fins do século XVIII e durante o XIX e XX, que correspondem à intensificação das ações dos agentes da iniquidade, que também ocorreu a multiplicação de agências missionárias em todo o mundo, levando o evangelho a todas as nações. As investidas da Igreja Romana sobre os Protestantes foram amarradas e o genuíno evangelho pôde ser pregado em todo o mundo a partir de então com maior liberdade. 

Lembremos que Jesus disse que antes da Sua volta importava que o evangelho fosse pregado em todo o mundo. E isto só foi concluído até o final do século XX, sobretudo com o advento da Internet. 

Considere-se também que Ele não voltaria enquanto Israel não retornasse à Terra Prometida, e isso só ocorreu em 1948.

A apostasia do Evangelho também deveria ocorrer, conforme já ocorreu principalmente na Europa que era o berço do cristianismo. E vimos que isto foi pela ação dos agentes da iniquidade infiltrados em todos os segmentos importante da vida pública em todo o mundo ocidental.

A presente guerra entre Rússia e Ucrânia está mobilizando o fortalecimento e união dos países membros da OTAN, que formarão o bloco que dará ascensão ao poder e apoio ao Anticristo, pela antecipação a futuras agressões da própria Rússia e outros países orientais.

A Guerra de Gogue e Magogue visando ao extermínio de Israel está à porta.

O "cristo" maçônico será adorado juntamente com o diabo por todos estes que trabalharam para entronizá-lo, e o próprio Israel será engando por ele recepcionando-o em tal condição, pois os livrará de uma possível coligação dos países que presentemente visam ao seu extermínio, como Síria e Irã, por exemplo.

 

Mas, louvado seja Deus, que não somente está no controle de tudo, mas que tudo previu nas Escrituras para o nosso consolo e fortalecimento da nossa fé.

 

Os obreiros (agentes) da iniquidade que se encontram empenhados totalmente para  a realização do plano de trazer igualdade, fraternidade e liberdade a toda a humanidade, permanecem aprisionados ao diabo e ao pecado eles mesmos e aqueles a quem pretendem libertar por adesão a eles, e assim, de que paz, amor e segurança reais eles podem desfrutar em seus espíritos?

Mas todo aquele que conhece por experiência pessoal espiritual ao Senhor Jesus, por maiores que sejam as tribulações e momentos de angústia que possam experimentar neste mundo, desfrutam de tal paz, amor e segurança pela manifestação e operação do Espírito Santo neles, depois de terem sofrido por um pouco, pois tudo isto visa à provação e confirmação da fé deles.

Esta é a razão porque as cinco virgens insensatas citadas na parábola que Jesus ensinou quanto ao tempo do fim, não entraram no Reino de Deus e não podiam e nem puderam participar da Sua, paz amor e segurança, pois não tinham o óleo do Espírito em suas lâmpadas. É o óleo que é o Espírito Santo em nós, que produz a chama do amor e da paz e segurança sempre que Ele manifesta a Sua presença em nós, despertando-nos de nosso sono espiritual que por vezes nos acomete, de nossa impaciência e até mesmo momentos de desespero que podemos experimentar por nossas aflições neste mundo, mas se O possuímos e se temos permanecido e andado nEle, é bem certo que sempre nos visitará com libertações poderosas fazendo-nos sentir como se estivéssemos no próprio céu de glória, exultando com amor, alegria, paz e louvor em nossas mentes e corações, fortalecidos que somos pela graça de Jesus. Bendito seja o seu santo nome. 

 

 

 

 

 

 

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Silvio Dutra
Enviado por Silvio Dutra em 14/05/2022
Alterado em 18/05/2022
Comentários
Site do Escritor criado por Recanto das Letras